«

»

Excesso de saliva é prejudicial à saúde bucal

Responsável pela proteção da cavidade bucal e dos revestimentos gastrintestinais e da orofaringe, a saliva é um dos mais importantes fluidos do corpo. Ela atua no controle da acidez bucal, digestão dos alimentos e proteção dos dentes contra o desenvolvimento de cáries, além de controlar as bactérias presentes na boca, prevenindo infecções.

Um paciente que sofre de boca seca, portanto, está mais suscetível a inflamações, sensibilidade, ardência e queimação na mucosa, atrofia das papilas linguais, desenvolvimento de cáries e perdas dos dentes. Por outro lado, a secreção excessiva de saliva é um transtorno que também pode causar incômodos aos pacientes, além de prejudicar a saúde bucal.

Existem dois tipos de transtornos ligados ao excesso de salivação: a hipersalivação ou ptialismo, caracterizada por aumento do fluxo salivar, e a sialorreia, que diz respeito apenas à sensação de hipersalivação. São múltiplas as causas do aparecimento da hipersalivação. Já a sialorreia está estritamente relacionada a distúrbios emocionais.

O ptialismo pode ser resultado de determinados fármacos que estimulam as glândulas salivares, como os utilizados para controlar a pressão arterial. Intoxicações, infecções agudas, hipertireoidismo e problemas neurológicos também podem fazer com que a produção salivar seja alterada.

Uma das consequências diretas do ptialismo é o aumento da necessidade de engolir a saliva, o que pode causar fadiga muscular. Além disso, o paciente se torna menos sensível ao paladar e mais suscetível a infecções por fungo no ângulo da boca (queilite angular), inflamações na pele da face e descamação dos lábios.

Em alguns casos, o paciente também pode desenvolver halitose e alterações no pH da boca, resultando em erosão dentária. Em geral, o tratamento da disfunção se baseia na eliminação da causa.

Vale lembrar que o ato de babar não é considerado transtorno salivar, uma vez que é causado por disfunções musculares.

 


Artigos relacionados:

4 comments

1 menção

  1. igor sacheto souza

    minha filha tem onze anos teve uma parada cardiaca com tres dias de vida,seguida de crise convulsiva,que a deixou com com secuelas na cordenação motora,uma das secuelas é o axcesso de salivação.mesmo fazendo tratamento com fono acho que nãotemos obtido melhoras,gostaria que a senhora me instruisse que postura devo tomar,ou que tratamento devo buscar.

  2. CECILIA MEDEIROS

    O TRATAMENTO COM A FONO É BASTANTE EFICAZ, QUANDO É UTILIZADO TECNICAS ASSOCIADOS COM A ESTIMULAÇÃO TERMICA, ALEM DOS EXERCICIOS QUE ESTIMULAM A DEGLUTIÇÃO.

  3. jorgr

    Oi tenho 24 anos tomo gardenal a 4 acho q tenho hiper salivação pois sempre tenho q engolir ou cuspir isso o dia todo.

  4. andre

    oi há alguns dias, venho sentindo o excesso de saliva na boca e a necessidade de engolilá todas as vezes, gostaria de saber qual profissional procurar?

  1. Queilite angular indica desequilíbrio da saúde oral » Blog da Dra. Kamila Godoy

    [...] desenvolvimento da “boqueira” pode estar associado a diversas causas, tais como excesso de salivação, uso de aparelhos ortodônticos ou próteses mal ajustadas, respiração bucal e higienização [...]

Deixe uma resposta

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>